70% dos brasileiros com mais de 50 anos têm alguma doença crônica

Um estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz, batizado de Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros, concluiu que 7 em cada 10 brasileiros com mais de 50 anos têm alguma doença crônica.

O estudo, realizado com base em entrevistas feitas em 70 municípios das cinco regiões do País, revela que 40% dos entrevistados idosos apresentam uma doença de longa duração e 30%, duas ou mais. Entre as doenças crônicas, a hipertensão é a mais comum nesse público, seguida por problemas na coluna, colesterol alto e catarata.

Os estudos indicam ainda que apenas metade dos pacientes com hipertensão tem a doença controlada. Atualmente, o País apresenta 29,3 milhões de idosos. A expectativa é a de que, em 2030, o número de idosos deva superar o de crianças e adolescentes.

Dessa forma, o levantamento destaca a necessidade de se investir na melhoria das condições da saúde para ampliar a longevidade dos brasileiros. Dados do Ministério da Saúde apontam que se nada for feito para prevenir doenças crônicas, em dez anos, teremos um aumento de 17% no número de mortes em decorrência dessas enfermidades.

O que são doenças crônicas?

As doenças crônicas são doenças de progressão lenta e longa duração e, em muitos casos, ainda não têm cura. Elas podem ser silenciosas ou sintomáticas e, geralmente, são levadas por toda a vida. Nos dois casos, comprometem a qualidade de vida e representam risco para o paciente.

Alguns exemplos de doenças crônicas são:

• Doenças respiratórias (asma, bronquite);
• Doenças metabólicas (obesidade, diabetes, lemas na tireoide);
• Diabetes;
• Obesidade;
• Hipertensão;
• Alzheimer;
• Parkinson.

Mas, por que elas ocorrem com tanta frequência?

As doenças crônicas costumam se desenvolver na idade adulta, devido ao envelhecimento, sedentarismo, estilo de vida, má alimentação. Silenciosas, normalmente não apresentam grandes riscos no curto prazo, mas é com o tempo que começam a assustar e causar problemas para quem as tem. A boa notícia é que é possível preveni-las ou controlá-las.

Veja algumas dicas para prevenir e controlar doenças crônicas:

1. Adote hábitos de vida saudáveis

As mudanças de comportamentos e hábitos são alternativas mais benéficas e necessárias para a saúde e uma vida equilibrada. A pessoa que não fuma, controla sua pressão arterial, monitora o colesterol, fica atenta ao peso e evita situações estressantes prolonga mais o surgimento de doenças crônicas.

2. Alimente-se bem

Os bons hábitos alimentares reduzem inflamação, Alzheimer e alterações no organismo. Uma dieta rica em legumes, vegetais, frutas, cereais integrais, azeite, peixes, consumo reduzido de carne vermelha, açúcar e carboidratos, como farinha branca, contribuem para um vida mais saudável. É recomendado também beber água regularmente para hidratar-se.

3. Faça exercícios físicos regulares

Os benefícios da atividade física para o organismo são enormes: a prática regular pode diminuir pela metade o risco de desenvolver doenças degenerativas, afasta o sedentarismo e a obesidade, promove mais disposição e energia, reduz a pressão arterial, produz uma substância que estimula o nascimento de novos neurônios, o que melhora nossas funções cognitivas, em especial a memória.

4. Entenda o funcionamento da doença

Compreender sua doença crônica, com a ajuda de um médico, ajuda a controlar seus sintomas e progressão. Descubra seu histórico familiar e sua predisposição a determinadas enfermidades para ter uma vida melhor e mais longa.

5. Siga as recomendações do médico

O médico é o responsável pela realização de exames e emissão do diagnóstico. A partir disso, elabora um plano de tratamento, incluindo recomendações sobre alimentação, estilo de vida, medicamentos com prescrição de dosagem e horário. Segui-lo corretamente e fazer check-up regularmente prolonga a vida do portador de doença crônica.

6. Alternativas complementares

Recomenda-se sempre que necessário recorrer às alternativas complementares para prevenir e tratar as doenças crônicas. Vale buscar terapia, fazer fisioterapia, desenvolver trabalhos artesanais, aprender um idioma, tocar um instrumento musical, resolver jogos, engajar-se socialmente, pois são atividades que incentivam a inclusão social, ativam a memória, exercitam o cérebro, estimulam a flexibilidade, a postura e o equilíbrio.

7. Sono adequado

Uma noite mal dormida e sono irregular constantes podem desencadear doenças degenerativas. Repor as energias do dia, estabelecer um ritmo de sono, como dormir e acordar sempre no mesmo horário e evitar a soneca ao longo do dia regeneram a mente, combatem o estresse e auxiliam para o bom funcionamento da memória.

O que achou das dicas? Alguns desses hábitos fazem parte da sua rotina? Continue acompanhando nossas dicas em nosso Blog e redes sociais!

DATA
13-11-18
CATEGORIAS

COMPARTILHE