A importância de investir em benefícios para atrair e reter talentos

Todo mundo gostaria de receber um aumento salarial, não é mesmo? Sabemos que em meio a crise, as empresas querem cortar cada vez mais os gastos. Em contrapartida, pesquisa realizada pela Sociedade de Gestão de Recursos Humanos (SHRM, na sigla em inglês), aponta que as empresas estão cada vez mais oferecendo benefícios para atrair e reter talentos. Nove entre dez empresas adotam esta política.

Segundo o estudo, os empregadores encontraram uma nova forma de atrair e reter funcionários, sem recorrer ao aumento de salários.  A pesquisa aponta que as organizações têm utilizado benefícios não financeiros para valorizar o trabalhador.

Bons exemplos para ampliar a carta de benéficos são: plano de saúde e odontológico, maior tempo de licença maternidade, bolsas de estudos em universidades, clube de descontos, entre outros. Com o incentivo, os colaboradores se sentem mais motivados a melhorar o seu desempenho no trabalho e manter o compromisso com a organização.

Muitos benefícios disponíveis no mercado podem parecer um tanto inusitados como serviços de lavanderia e até descontos em lojas de roupas. Contudo, isso mostra que a empresa deve pensar estrategicamente em benefícios que atendam o seu quadro funcional, sem necessariamente seguir um padrão.

Para elaborar uma política de reconhecimento e benefícios não financeiros, é importante pensar em:

  1. Reconhecimento: receber um elogio por uma conquista ou um trabalho bem feito. Reconhecer individualmente os colaboradores.
  2. Oportunidade de crescimento: oportunidade de liderar equipes ou tarefas, participação em eventos, etc.
  3. Flexibilidade: disponibilizar horas extras que possam gerar dias de folga, flexibilidade de horário, trabalhos home office.
  4. Ambiente de trabalho: relações de profissionais mais próximas e abertas com feedback constante; Espaço para relaxamento, algo que costuma ser motivador aos colaboradores.
  5. Status: prestigiar, reconhecer e compensar os trabalhadores ajudam a suprir suas necessidades psicológicas e sociais que são percebidas como status.

Especialistas afirmam que a prática desta política vem colaborando para a melhora na geração de caixa para as empresas, mesmo em tempos de crise. Porém, é importante lembrar que essas ações devem ser ponderadas e bem estruturadas, a fim de atingir os resultados determinados pelas empresas.

DATA
28-02-18
CATEGORIAS

COMPARTILHE