Os principais erros na Gestão de Benefício Saúde

As pessoas estão cada vez mais preocupadas com a própria saúde e de seus familiares. Não é em vão que o convênio médico é o benefício mais apreciado nas empresas. Mas, engana-se quem pensa que somente o colaborador é beneficiado com a oferta de plano de saúde.

Para a empresa, o benefício reduz a rotatividade de funcionários e o absenteísmo, além de contribuir para o engajamento e motivação dos colaboradores, o que aumenta a produtividade no ambiente corporativo. No entanto, na tentativa de alcançar bons resultados e reduzir custos, as empresas buscam soluções mais baratas e realizam ações genéricas, sem levar em consideração as particularidades do próprio negócio e perfil de colaboradores.

A seguir, entenda quais são os piores caminhos adotados pelas empresas na tentativa de reduzir os custos com assistência médica:

Falta de planejamento eficiente

No momento de contratar um plano de saúde empresarial, antes mesmo de verificar preços, é importante saber qual a real necessidade dos seus funcionários. Por exemplo, não é viável contratar um plano regional que não cobre a área de utilização do beneficiário ou um plano com abrangência nacional para funcionários que não costumam viajar com frequência. É necessário que o planejamento do benefício atenda às peculiaridades do quadro funcional.

Falta de informação

A falta de indicadores na construção de uma boa gestão do benefício é um grande erro. As empresas necessitam de um sistema eficiente que forneça todos os dados relacionados à saúde da organização, a fim de possibilitar ações preventivas de gestão de risco. Dessa forma, antes de criar ações genéricas ou trocar de operadora de plano de saúde, o RH deve identificar qual indicador precisa de uma atenção especial e voltar suas ações para ele. Os dados corretos possibilitam um acompanhamento adequado da saúde do funcionário e ações assertivas, evitando o desperdício de recursos e energia.

Falta de controle do benefício

Mais importante do que oferecer um plano de saúde aos colaboradores de sua empresa, é o controle do benefício. Ações voltadas para o uso consciente do plano são muito importantes para o controle da sinistralidade. Um sistema de gestão de risco focado em beneficio saúde  permite ao RH agir antecipadamente para controlar seus custos por meio de ações preventivas. Com os dados certos em mãos, os gestores do benefício podem agir antecipadamente, prevenindo o aumento da sinistralidade e do absenteísmo.

Atenção só aos crônicos

Ao contrário do que muitos pensam, uma boa gestão de saúde não significa apenas cuidar do grupo de risco. As ações voltadas aos doentes crônicos são de extrema importância, mas, é preciso pensar na saúde dos colaboradores como um todo. Criar programas para cada perfil de colaboradores é a melhor estratégia para a prevenção.

DATA
13-09-17
CATEGORIAS

COMPARTILHE