Custos nas admissões geram retrabalho para o RH

Quando uma determinada empresa realiza o processo de contratação de funcionários, segundo pesquisa realizada pelo IBOPE, 98% das entregas de documentos em admissões são realizadas pessoalmente pelo contratado. Esse procedimento pode abrir procedente passível a erro humano.

Em grandes empresas, na maioria das vezes, o RH tem a necessidade de encaminhar às unidades locais de recebimento de documentos, e implicando ainda mais na possibilidade de erros. Segundo levantamento realizado pela Acesso Digital, 60% dos candidatos entregam seus documentos com ausência ou informações erradas.

Assim como a burocracia no processo de contratação, a rotatividade de funcionários também é um problema presente em muitas empresas. Mesmo sendo um processo natural nas organizações, o índice de “turnover” pode impactar diretamente no clima organizacional, e pode passar a impressão de uma péssima gestão por parte dos líderes. O que pode ser visto como “comum”, estes causam uma impressão ruim à pessoa que busca uma oportunidade de ingressar no mercado de trabalho, e também pode significar desvantagem em relação às concorrentes.

Para a empresa não se desgastara com estes trâmites, é importante saber administrar o andamento de contratações e demissões, e saber como reter e atrair talentos.

Oferecer benefícios são as principais vias de contratação, assim como também na retenção de funcionários. Muitas empresas têm se adaptado à integração de benefícios ao salário, com intuito de deixar a vaga mais atraente e valorizar o colaborador. Com isso, a sua empresa ganha melhor visibilidade entre às concorrentes e melhora o índice de produtividade, fazendo com que gere lucro e crescimento no mercado. Assim como a implementação destes benefícios, olhar para as tecnologias como ferramentas que auxiliam o setor de Recursos Humanos, pode desafogar e melhorar o desempenho da área.

Para facilitar o trabalho dos gestores de benefício, a Célebre criou o SAS – Sistema de Análise de Saúde. O software realiza um mapeamento do estado de saúde de cada colaborador, considerando o estilo de vida, ambiente de trabalho e histórico médico. Com isso, é possível determinar o encaminhamento médico dos beneficiários, programas específicos de estímulo ou mudança de comportamentos.

O objetivo do SAS é oferecer à sua empresa uma ferramenta de controle de sinistralidade, por meio de conscientização, orientação e monitoramento da saúde empresarial, acompanhando desde pessoas saudáveis a casos de maior complexidade, como portadores de doenças crônicas. Dessa forma, as ações são estabelecidas de acordo com as necessidades do colaborador e a cultura da empresa em gestão de saúde e bem-estar.

DATA
25-04-18
CATEGORIAS

COMPARTILHE