Saúde do Trabalho: como evitar doenças ocupacionais?

Nos últimos anos, o número de colaboradores com doenças ocupacionais cresceu preocupantemente no Brasil, afastando os empregados temporária ou permanentemente. Isso tem causando prejuízos tanto ao empregado quanto ao empregador. De acordo com dados da Previdência social, mais de 116 mil trabalhadores ficaram ausentes do trabalho por períodos de, no mínimo, duas semanas em 2016, apenas por dor nas costas.

O cuidado com a saúde deixou de ser uma preocupação pessoal e hoje é visto como uma questão prioritária e estratégica para muitas organizações. Afinal, quando o capital humano apresenta índices de adoecimento significativos, isso será sentido no dia a dia corporativo, pois o talento poderá ter que ser afastar durante algum tempo do seu posto de trabalho e, nem sempre, haverá outro colaborador para assumir as atividades do profissional que se ausenta para se restabelecer. Além disso, o afastamento do colaborador acarreta diversos prejuízos para a organização, com perda de produtividade, pagamento de horas-extras, contratação e treinamento de substitutos temporários e etc.

A melhor maneira de evitar as doenças laborais é a prevenção. Promover a saúde deve ser a prioridade e o plano de saúde oferece vários mecanismos para os gestores alcançarem esse objetivo.

Confira algumas importantes dicas a serem utilizadas nas organizações, com o objetivo de evitar doenças ocupacionais e acidentes de trabalho.

  • Utilize os canais de comunicação interna para conscientizar e alertar seus colaboradores quanto aos riscos e às ações de prevenção, para evitar doenças ocupacionais e acidentes no ambiente de trabalho.
  • Promover as palestras e os treinamentos específicos, ministrados por profissionais capacitados, que abordem temas relacionados às regras de proteção, à saúde e às boas condutas no ambiente laboral.
  • Estimule a prática diária de exercícios específicos para evitar, por exemplo, lesões corporais por movimentos repetitivos. Para que essas práticas sejam sempre eficientes é fundamental contar com a orientação de profissionais capacitados e especialistas em ergonomia.
  • Oferecer aos trabalhadores mobiliários adequados no ambiente de trabalho para uma correta acomodação ergonômica.
  • Manter os trabalhadores sempre informados sobre os resultados obtidos a partir das avaliações realizadas no ambiente laboral.
  • Adotar programação de descanso entre as ocupações do dia e não delegar tarefas em que os colaboradores sejam submetidos a uma mesma atividade em tempo integral.
  • Orientar os funcionários a procurarem orientação médica em casos de manifestação de sintomas como: cansaço muscular nos braços ou nas pernas, dores, dormências, inchaços e outras alterações na saúde.
  • Informar aos trabalhadores os resultados dos exames médicos e dos exames complementares realizados, com o intuito de conscientizá-los sobre os diagnósticos obtidos e os cuidados com a saúde.
  • Divulgar e treinar os trabalhadores, quanto aos procedimentos corretos e imediatos que devem ser adotados em caso de acidentes.
  • Cumprir com todas as normas regulamentadoras (NRs) que determinam os fatores de prevenção no ambiente laboral, visando atender as exigências legais da engenharia de segurança e da medicina do trabalho.

Todas as ações de prevenção devem ser adotadas pelas organizações e pelos próprios trabalhadores, visando eliminar as condições inseguras no ambiente laboral, mas é importante reforçar que essas mesmas ações devem sempre ser orientadas por profissionais capacitados a oferecer serviços em engenharia de segurança e em medicina do trabalho.

DATA
23-01-18
CATEGORIAS

COMPARTILHE