Empresas apostam em benefício saúde para reter talentos

O que sua empresa tem feito para reter talentos?

Uma das tarefas mais difíceis em uma empresa é a contratação de bons profissionais, e quando esse desafio é alcançado, surge outro desafio ainda mais complexo: reter de talentos.

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo, os profissionais estão se especializando e concorrência está sempre atenta aos profissionais que possam se destacar em seus negócios. Dessa forma, adotar um plano de retenção se torna cada vez mais necessário.

Além do investimento em capacitação, um bom plano de carreira e um agradável ambiente de trabalho, são algumas estratégias para engajar os colaboradores.
A oferta de bons benefícios também é fator determinante para atrair e reter talentos.

De acordo com a Pesquisa dos Profissionais Brasileiros, realizada por uma Consultoria de Recrutamento, o Plano de Saúde é o benefício com maior importância para 74,6% dos trabalhadores. Para os colaboradores, o benefício saúde oferece segurança e tranquilidade, além da sensação de estar bem assistido em uma eventual emergência médica.

Além disso, o colaborador passa a cuidar mais da saúde, por meio de exames preventivos, o que reduz o absenteísmo.

Por outro lado, a empresa também se beneficia com a oferta de um bom plano de saúde. As empresas, além de contarem com um funcionário mais motivado e com a saúde em dia, podem observar a diminuição de faltas no trabalho e ter um melhor controle dos atestados médicos – um dos maiores problemas quando se fala em saúde do trabalhador.

O benefício saúde também tem o poder de auxiliar a redução de turnover (taxa de rotatividade de colaboradores). Perder bons funcionários é prejudicial para a organização da empresa, que precisa contratar um novo colaborador para exercer aquela função. Para isso, ele deve ser treinado, obter experiência e se habituar ao ambiente de trabalho, o que gera custo e demanda tempo.

Antes de mais nada é importante ouvir o colaborador. Para isso, é sempre bom investir em pesquisas de clima organizacional. Dessa forma é possível saber se os benefícios oferecidos vão ao encontro das expectativa dos funcionários.

Com uma equipe de sucesso estruturada, todos os esforços para mantê-la são válidos. Não perca mais tempo: invista em estratégias de retenção de talentos e garanta o sucesso do seu negócio!

A importância de investir em benefícios para atrair e reter talentos

Todo mundo gostaria de receber um aumento salarial, não é mesmo? Sabemos que em meio a crise, as empresas querem cortar cada vez mais os gastos. Em contrapartida, pesquisa realizada pela Sociedade de Gestão de Recursos Humanos (SHRM, na sigla em inglês), aponta que as empresas estão cada vez mais oferecendo benefícios para atrair e reter talentos. Nove entre dez empresas adotam esta política.

Segundo o estudo, os empregadores encontraram uma nova forma de atrair e reter funcionários, sem recorrer ao aumento de salários.  A pesquisa aponta que as organizações têm utilizado benefícios não financeiros para valorizar o trabalhador.

Bons exemplos para ampliar a carta de benéficos são: plano de saúde e odontológico, maior tempo de licença maternidade, bolsas de estudos em universidades, clube de descontos, entre outros.

Leia também: 4 dicas para a redução de custos do plano de saúde nas empresas

Com o incentivo, os colaboradores se sentem mais motivados a melhorar o seu desempenho no trabalho e manter o compromisso com a organização.

Muitos benefícios disponíveis no mercado podem parecer um tanto inusitados como serviços de lavanderia e até descontos em lojas de roupas. Contudo, isso mostra que a empresa deve pensar estrategicamente em benefícios que atendam o seu quadro funcional, sem necessariamente seguir um padrão.

Para elaborar uma política de reconhecimento e benefícios não financeiros, é importante pensar em:

  1. Reconhecimento: receber um elogio por uma conquista ou um trabalho bem feito. Reconhecer individualmente os colaboradores.
  2. Oportunidade de crescimento: oportunidade de liderar equipes ou tarefas, participação em eventos, etc.
  3. Flexibilidade: disponibilizar horas extras que possam gerar dias de folga, flexibilidade de horário, trabalhos home office.
  4. Ambiente de trabalho: relações de profissionais mais próximas e abertas com feedback constante; Espaço para relaxamento, algo que costuma ser motivador aos colaboradores.
  5. Status: prestigiar, reconhecer e compensar os trabalhadores ajudam a suprir suas necessidades psicológicas e sociais que são percebidas como status.

Especialistas afirmam que a prática desta política vem colaborando para a melhora na geração de caixa para as empresas, mesmo em tempos de crise. Porém, é importante lembrar que essas ações devem ser ponderadas e bem estruturadas, a fim de atingir os resultados determinados pelas empresas.

DATA
10-08-17
CATEGORIAS

COMPARTILHE