Saúde da Mulher

Como cuidar da sua saúde da mulher, prevenir malefícios e identificar hábitos nocivos para o seu respectivo bem-estar físico e mental? Foi pensando em seu bem-estar que, nós da Célebre Corretora, juntamente com nosso Comitê de Saúde & Gestão de Riscos, preparamos um conteúdo especial para você. 

Neste artigo, reunimos um conteúdo que envolve desde questões hormonais e a sexualidade feminina, passando por um guia de exames preventivos, até informações sobre a violência doméstica contra a mulher.

Quer saber mais? Vamos juntas! 

CONHECENDO SEU CORPO

Fique de olho! Nosso corpo envia diferentes sinais para cada momento do seu ciclo. 

Quando começamos a prestar mais atenção nessas alterações, identificamos sintomas comuns, como cólicas no período menstrual, sensibilidade nos seios, aumento da libido ou alguma anormalidade no corrimento vaginal. Contudo, independente de qualquer sintoma, o mais indicado é sempre manter aquela visitinha frequente em sua ginecologista, combinado? 

MENOPAUSA, E AGORA?

Quando uma mulher está entre os 48 e 51 anos, ocorre um declínio natural em seus hormônios. Seu indício se dá com a passagem de 12 meses desde a última menstruação, incluindo sintomas como ondas de calor e secura vaginal. Também é comum haver distúrbios do sono e em casos mais graves, a combinação de vários fatores pode causar ansiedade e até mesmo depressão. Dessa forma, é essencial buscar tratamentos adequados, pois eles visam o alívio dos sintomas. Fora os medicamentos, existem terapias hormonais que podem ser prescritas de acordo com cada caso. 

Fique atenta a esses e outros sinais.  Eles podem ser muitos quando se tratando de saúde da mulher, como: ganho de peso, mudanças de humor, desaceleração do metabolismo, pele seca, cabelos mais finos e consequentemente a diminuição da autoestima.

O SEXO NA MATURIDADE

É fato: a sexualidade na terceira idade é permeada por muitos tabus e preconceitos. Mas o assunto deve ser tratado com normalidade, para evitar transtornos de vários aspectos. Com o passar dos anos e a expectativa de vida cada vez mais alta, as mudanças no corpo podem intervir na saúde da mulher, não só no aspecto sexual, mas também social e psicológico. Logo, é preciso entender as transformações que fazem parte do processo de envelhecimento, como a diminuição natural na resposta aos estímulos sexuais. 

Além disso, é importante manter hábitos saudáveis, pois o desempenho sexual pode estar relacionado com algum outro problema de saúde (como diabetes, colesterol alto e tabagismo). Sendo assim, faça exames regularmente não só devido aos fatores hormonais, mas para envelhecer com qualidade de vida, é claro.

EXAMES PREVENTIVOS

Os exames preventivos auxiliam no diagnóstico de doenças que podem ser curadas quanto mais cedo forem identificadas. Por isso, saiba quais são cada um destes procedimentos que detectam alterações no organismo e aumentam as chances de um tratamento mais efetivo.

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

As mulheres são vítimas de agressões físicas, psicológicas e sexuais. E acredite: muitas vezes no ambiente privado. Cerca de 13 mulheres morrem por dia como vítimas de feminicídio, ou seja, foram assassinadas pelo simples fato de serem mulheres. E em um terço desses casos, o crime foi cometido por parceiros ou ex-companheiros das vítimas em seus próprios lares. Geralmente, são mortes anunciadas, consequência de uma brutalidade doméstica e diversos abusos contínuos. Tal comportamento reforça a condição de poder e controle agindo sobre a vida de cada uma delas, que infelizmente não se vêem totalmente emancipadas.  

Portanto, um dos primeiros passos é saber interpretar alguns sinais de relacionamento abusivo com seu parceiro, como: humilhações públicas e constrangimento, críticas frequentes, tratamento de silêncio, controle financeiro e dominação, chantagem emocional, grosseria, ciúme sem motivos, traição e ameaças de todo tipo (inclusive com manifestações de suicídio). 

Pois saiba: além da agressão física, existem diversos outros tipos de violência que podem precedê-la, como a psicológica, sexual, patrimonial e moral (devidamente enquadradas na lei Maria da Penha). 

FONTE: Atlas da Violência (2019).

A denúncia de violência doméstica contra a mulher pode ser feita em qualquer delegacia. Mas há diversos órgãos que a vítima pode procurar para se proteger e buscar os seus direitos.   

Busque apoio. DENUNCIE!

  • Delegacias da Mulher: se não houver atendimento 24 horas, o boletim de ocorrência pode ser feito em uma delegacia comum e depois transferido.
  • Centros de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência: para casos em que a mulher não se sente segura em procurar a polícia.
  • Defensoria Pública: atende quem não possui recursos para contratar um advogado.
  • Outros serviços e redes de apoio: serviços de Atenção Integral à Mulher em Situação de Violência Sexual, como abrigos de amparo e Promotorias Especializadas na Defesa da Mulher.
  • >>> Disque 180: Central de Atendimento à Mulher
  • >>> Clique180: aplicativo com rede de atendimento onde é possível encontrar centros e delegacias especializadas mais próximas de cada vítima.

DATA
09-03-20
CATEGORIAS

COMPARTILHE